sábado, 20 de abril de 2013

Chega de razões.

Não sou de debater quando não tenho certeza de algo. Nunca discuto quando sei que não terei argumentos suficientes. Sou direta, de forma discreta. Certas pessoas me conhecem de uma forma inexplicável, onde eu não preciso ser direta, não preciso nem dizer nada. Elas simplesmente sabem o que se passa na minha cabeça, no meu espírito e nas minhas entrelinhas. Isso me encanta, me assusta, e essa contradição me faz amar absurdamente. Já outras pessoas, não conseguem compreender meus olhares, meus sinais, nada. Caramba, sou uma pessoa que fala com o olhar! E olha só, eu já disse isso verbalmente! Se esforce mais, tente me ler, me descrever. Me surpreenda! Gosto de surpresas. Tenho uma visão muito turva, e uma confiança quase nula. Sinceramente, não vai funcionar. Nessas situações, o que eu mais quero é me enganar. Quero ouvir "Você está errada!". Tom de voz alterado, palpitações, olhos cobertos em sangue de raiva, respiração ofegante, dedos sendo apontados. Quero tudo isso, quero estar errada, quero ser a paranóica. Olhe pro meu interior, e diga! 
Você não consegue. 
E eu já sabia desde o começo. 
Novamente eu estava certa em relação a tudo. Trágico.

- Hoje eu só quero que o dia termine bem...
    

Nenhum comentário:

Postar um comentário