quinta-feira, 18 de julho de 2013

Bons ventos...

Novos ventos ocupam as ruas, invadem casas e derrubam folhas... Novos ventos trazem frescor, sensação de liberdade e um som único no pé do ouvido. Novos ventos podem ser ruins, quando trazem consigo uma tempestade. Mas podem ser bons ventos, que trazem o perfume da pessoa amada minutos antes dela se aproximar de você. Novos ventos trazem novas esperanças, novas expectativas. Cheiro de filtro solar, que lembra praia, que lembra maré, que lembra ventos incessantes... Esses são bons ventos. Sem dúvida.
Ventos gélidos de inverno que passam pela janela, esfriando o assoalho e te fazendo lembrar o quão bom é andar usando meias pela casa. Aquelas folhas que caem das árvores no outono fazem uma dança sincronizada ao sinal de qualquer corrente de ar. A carta que você tenta escrever sentado em alguma praça, tende a sair voando ao menor descuido. Ela dança, fazendo movimentos leves, e você se vê correndo atrás daquele pedaço de papel, sentindo o mesmo vento que o leva pra longe, te empurrar ao encontro do mesmo. Ventos são sopros de vida. É uma forma simples, singela e quase imperceptível de retomar forças e ver que o tempo não para. Pois é, o tempo não para, o vento não para, a vida não para.
Aquele vento que passou por você jamais voltará, foi um sopro único...
Mas uma coisa é certa: Por mais desapontado que você esteja, haverá sempre um vento novo esperando pra soprar em seu rosto, em seu coração, em sua vida. Impulsione-se. Deixe-se voar.

Bons ventos para nós!

- Hoje eu só quero que o dia termine bem...
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário