sábado, 3 de agosto de 2013

Borboletas...

Acordou mas não se levantou. Manteve os olhos fechados por um longo espaço de tempo, na esperança de que os sonhos voltassem a passear pela sua mente. Não voltaram, ela então começou a vasculhar suas lembranças, em busca de um motivo para voltar a acreditar. Os encontrou, mas também encontrou vários motivos para não mais se importar.
Tinha aquela aparência de garota forte, quando na verdade tinha um coração frágil, que já havia sido machucado diversas vezes... O que acabou deixando o medo tomá-la por completo quando o assunto era confiar na palavra das pessoas. Não era rancorosa. Sofria, chorava, questionava e prometia não mais voltar atrás... Mas seu coração era grande demais, ela não conseguia negar aquele sentimento à ele. Por mais que ela soubesse que sofreria depois, ela gostava de sentir aquelas malditas borboletas no estômago, aquele frio subindo pelo seu corpo inteiro. Teimosa!
Acordou assustada, passeou tanto em suas lembranças que adormeceu. Não voltou pro sonho como queria, e por um lado foi até bom. Ela surta com uma facilidade impressionante, e no ritmo que ia, não estava longe de acontecer. Correu pro banho, ligou o chuveiro quente, deixou que a água percorresse todo seu corpo e formasse um escudo protetor do vento frio que entrava pela janela... Fechou os olhos e ficou ali, encolhida e cantando baixinho, tão baixinho que só ela e o coração sabiam qual música era. Demorou mais do que costuma no banho. Queria se arrumar para lidar com seus pensamentos. Roupa, perfume, lápis, blush e máscara para os cílios. Estava finalmente pronta. Sentou no sofá, ligou a TV e desligou o celular. Passou o dia todo daquela forma, envolvida em pensamentos e dúvidas, esperando que o ócio lhe trouxesse alguma solução... 
O dia chegou ao fim, ela novamente adormeceu e dessa vez foi embalada por sonhos que a fizeram sentir as borboletas brincando em seu estômago. Ela sabia que era um sonho, sabia que no futuro poderia sofrer, mas pelo sorriso que exibia não parecia se importar com as consequências. 
Fez das borboletas suas melhores amigas e brincava com elas constantemente. 
Dormindo ou acordada...

- Hoje eu só quero que o dia termine bem...
           

Nenhum comentário:

Postar um comentário