sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Sentimentos.

Algumas coisas não tem forma, não tem sabor, não tem cheiro. E mesmo parecendo tão insignificante e apresentando um nível de periculosidade tão nulo, essas coisas podem te acertar em cheio, descer rasgando sua garganta e te fazer chorar por horas a fio. São o que costumam chamar de sentimentos. Te tiram o sono, a fome, o humor. Não são palpáveis, mas podem ser feridos. Não são visíveis, mas são notados com facilidade. E não adianta fingir, muito menos fugir. É inevitável. A dor da saudade, o sabor amargo de uma decepção... Não há remédio que cure, não há bebida que misture. Você cai, desaba e nem mesmo se move. Talvez um abraço apertado te faça sentir segurança por um momento, mas que abraço vai te apertar por dentro? Que beijo vai tocar sua mente? Quais palavras vão acalentar seu coração? Sentimento, sofrimento, desalento... Deixe de ser desatento. Reposicione pensamentos e prioridades. Não queira sentir a dor da perda, opte pela dor da saudade.
E não se esqueça: Deguste o doce sabor do amor, seja ele como for.

- Hoje eu só quero que o dia termine bem...

Nenhum comentário:

Postar um comentário